Andre Dusek|Estadão
Andre Dusek|Estadão

Governo não vai interferir em preços da Petrobrás, diz Parente

Orientação do presidente em exercício Michel Temer é de que a estatal tenha uma gestão profissional e sem interferência

Adriana Fernandes, Murilo Rodrigues Alves, Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

01 Junho 2016 | 12h20

O novo presidente da Petrobrás, Pedro Parente, assegurou nesta quarta-feira, 1º, que não haverá interferência do governo na gestão de preços da empresa. Em entrevista após tomar posse no Palácio do Planalto, Parente disse que a decisão de preços dos combustíveis será de "natureza" empresarial. Segundo ele, a orientação do presidente em exercício Michel Temer é de que a Petrobrás tenha uma gestão profissional e sem interferência do governo.

Parente evitou, no entanto, fazer previsões de reajuste dos preços dos combustíveis. "Não vou responder esse pergunta. Vocês podem tentar 50 vezes que eu não vou falar especificamente sobre o que vai acontecer com os preços. Seria irresponsável da minha parte falar isso", disse ele em tom mais forte. Para ele, a interferência política na estatal de petróleo não existe mais: "Ja acabou".

O presidente da Petrobrás afirmou, ainda, que se sente "honrado e desafiado" para comandar a empresa, mas ponderou que assume o cargo com senso de humildade em relação ao desafio que tem pela frente. "A empresa é maravilhosa e precisamos recuperar o papel de orgulho que já teve", prometeu.

Parente também disse estar imbuído do espírito de fazer "o que deve ser feito e o que é certo". Ele destacou que há "muita coisa a fazer, a equipe é boa e nós vamos trabalhar com determinação para fazer com que essa empresa volte ao papel de relevância e importância que sempre teve". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.