Governo não vai propor redução de jornada, diz secretário

O secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho, Osvaldo Bargas, reconheceu hoje que o Brasil tem uma carga de trabalho elevada. Ele argumentou, no entanto, que a redução da jornada de trabalho vai ser uma proposta que partirá dos trabalhadores e empresários no Fórum Nacional do Trabalho. "O governo não vai propor a medida", disse ele. Bargas explicou que nas alterações que serão propostas na legislação trabalhista, o governo atuará mais como mediador. O contrário, segundo ele, está se dando nas discussões sobre a reforma sindical, que precedem a reforma trabalhista na pauta do Fórum. Bargas salientou que a questão da jornada de trabalho não pode ser usada como bandeira para a solução do desemprego. Ele também disse que o governo não apoiaria a idéia de redução da jornada com redução de salários. Na questão da reforma sindical, o governo claramente defende a liberdade e autonomia sindical, e é também a favor de acabar com todo o imposto compulsório existente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.