Governo nega pedido de empresários para reduzir impostos

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, ouviu hoje críticas de empresários sobre a elevada carga tributária e respondeu que os impostos não cairão já. Durante almoço com 204 integrantes do Grupo de Líderes Empresarias), o ministro disse que o governo quer manter os atuais tributos "até o momento em que as condições macroeconômicas permitam a redução em algum patamar que possa beneficiar a economia".O presidente da Maringá Turismo, Marcos Arbaitman, classificou como "irresponsabilidade" o governo ter reajustado a alíquota de 3% para os atuais 7,6%. "Não tivemos ganho de receita", reclamou. Berzoini disse apenas que a alíquota foi fixada "a partir de estudos tributários".Durante o encontro na capital paulista, 130 empresários responderam a um questionário sobre a eficiência gerencial do governo federal, a perspectiva de criação de empregos e o fator que impede o crescimento dos negócios. Para 71% dos entrevistados, a carga tributária é o principal fator que impede o crescimento das empresas. A eficiência gerencial do governo teve nota de 3,5 (em uma escala de zero a dez). Em relação à situação dos negócios das companhias, apenas 5% dos que responderam ao questionários afirmaram que esperam para este ano resultado pior do que o registrado em 2003. O levantamento mostrou ainda que 46% das empresas deverão este ano criar empregos.O ministro repetiu o discurso otimista que vem marcado a equipe econômica e disse que o presidente Lula "não tem medo de enfrentar momentos de impopularidade". Segundo Berzoini, os integrantes do governo não perseguem resultados de curto prazo. "Esse governo veio para construir um novo ciclo de crescimento. Trata-se de um projeto de Nação e não de governo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.