Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo pode admitir Furnas no leilão do Madeira

O governo sinalizou ontem que poderá recuar da intenção, anunciada em junho, de tirar as estatais do Sistema Eletrobrás dos leilões das hidrelétricas do Rio Madeira. O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, admitiu que há a tendência, no governo, de manter o consórcio entre a estatal Furnas e a Odebrecht na disputa pela usina de Santo Antônio, que faz parte do complexo.?Não está batido o martelo, mas caminhamos para um modelo no qual Odebrecht e Furnas poderão ficar juntas?, disse ele. Mas, segundo Tolmasquim, para a manutenção da parceria é necessário que a Odebrecht abra mão de uma cláusula do contrato com Furnas que impede a participação de outras subsidiárias da Eletrobrás no leilão.Assim, outras estatais, como Eletronorte, Eletrosul e Chesf, poderiam se associar aos outros consórcios que disputarão a concessão da usina. Com isso, o governo pretende manter o equilíbrio entre os consórcios. Nas últimas semanas, representantes da Odebrecht manifestaram ao governo a disposição de negociar a cláusula, desde que seja mantida a sociedade com Furnas. Segundo Tolmasquim, o governo pretende acertar isso ?o mais rapidamente possível?. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

LEONARDO GOY, Agencia Estado

14 de agosto de 2007 | 09h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.