Governo pode agir para conter câmbio, admite Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou nesta tarde que o governo poderá adotar novas medidas para conter a excessiva valorização do real frente ao dólar. Mantega admitiu que o governo poderá acabar com a cobertura cambial (exigência de que as receitas com exportação sejam internalizadas no País. Hoje, o governo permite que apenas 30% dos recursos sejam mantidos no exterior). Mantega procurou deixar claro, no entanto, que não se trata de um pacote cambial. "Não há nenhum pacote cambial em curso", afirmou ao deixar encontro com o PMDB sobre a reforma tributária. Numa tumultuada entrevista, o ministro afirmou que o governo se preocupa em fomentar as exportações e impedir que haja uma valorização cambial excessiva. "Uma valorização é natural, conforme tenho dito, porque o câmbio é flutuante. Mas a todo o momento estamos estudando a situação e medidas para acelerar as exportações e atenuar a valorização cambial. Isso é permanente. A equipe econômica da Fazenda está estudando e verificando o que pode ser feito", afirmou. O ministro destacou que a flexibilização da cobertura cambial reduzindo de 100% para 70% da necessidade de internacionalização da receita (início de 2007) facilitou a vida dos exportadores e permitiu que não houvesse o trânsito de recursos com o fechamento cambial e o aumento de custos para as empresas. "Poderemos tomar outras medidas nesta direção. É possível que acabemos com a cobertura cambial", disse. Ele fez questão de ressaltar que a Lei das ZPEs (Zona de Processamento das Exportações), em processo de tramitação final no Congresso, tem a concordância do governo de acabar com a cobertura cambial para todos os setores de exportação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.