carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Governo pode intervir para brecar alta do álcool, diz Stephanes

Redução de financiamento para formação de estoques e alteração na mistura com a gasolina são cogitadas

Célia Froufe, da Agência Estado,

14 de outubro de 2009 | 10h04

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou nesta quarta-feira, 14, que o governo tem mecanismos para intervir no mercado, caso os preços do álcool continuem em níveis elevados. Uma das medidas sugeridas seria a redução de financiamento para formação de estoques. A segunda alternativa seria a redução da mistura do álcool à gasolina. "Essa mistura já esteve em 23% e passou para 25%. Podemos diminuir", comentou.

 

Veja também:

linkPreço do álcool sobe 8,74% em um mês

linkAbastecer com álcool está vantajoso em 17 Estados

 

Segundo Stephanes, o preço do álcool está apresentando um "pequeno soluço" no mercado hoje. "Vamos ver até onde isso vai. Acredito que vá se normalizar", afirmou ele, ao chegar ao seminário "O setor sucroenergético e o Congresso Nacional: construindo uma agenda positiva". Na avaliação de Stephanes, a produção de álcool tem sido boa, mas o mercado pode se autorregular.

 

A respeito da reunião realizada nesta última terça-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro teceu poucas considerações. De acordo com ele, a atualização do índice de produtividade das terras não foi abordada no encontro. "Discutimos sobre vetos a uma Medida Provisória", explicou sem dar mais detalhes, mas informando que a reunião teve também a participação do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e de outro ministros.

 

Stephanes salientou que a discussão sobre um marco regulatório para o setor sucroenergético tem sido feita de forma lenta, propositadamente, para que se debata o assunto com profundidade. "Estamos discutindo o tema há algum tempo. Para uns a regulação deve ser mínima, enquanto para outros deve ser maior. O bom é que a discussão esteja sendo feita com muita calma", informou.

Tudo o que sabemos sobre:
álcoolReinhold Stephanes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.