Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo prepara retaliação aos EUA caso vença na OMC

O Brasil quer estar preparado para retaliar os Estados Unidos caso a Organização Mundial do Comércio (OMC) confirme no ano que vem a vitória brasileira contra os subsídios concedidos aos produtores norte-americanos de algodão. O Itamaraty estuda medidas legais para aplicar as punições comerciais aos Estados Unidos na área de propriedade intelectual. Essa seria a primeira vez que o País usaria o direito de impor sanções a um parceiro comercial. A legislação brasileira já permite retaliações na área de bens, forma tradicional de aplicação de penalidades que dificilmente é adotada porque acaba onerando as cadeias produtivas da indústria nacional. Daí a decisão de analisar alternativas de retaliação na área de propriedade intelectual, mais sensível para os Estados Unidos e outros países desenvolvidos. O arcabouço legal, para o Itamaraty, será uma carta na manga. O melhor dos mundos, segundo diplomatas, é que os países cumpram as ordens da OMC e eliminem subsídios e concorrência desleal. ?Essa legislação deve ter o papel de obrigar os países a cumprir os compromissos na OMC. O ideal é não chegar a retaliação?, explicou um diplomata. Mas na iminência de uma vitória, o Itamaraty tem pressa. Um grupo de trabalho analisa dois projetos de lei que tramitam na Câmara, de autoria dos deputados Paulo Teixeira (PT-SP) e Fernando Gabeira (PV-RJ), e, se necessário, apresentará nova proposta ao Congresso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

17 de novembro de 2007 | 10h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.