Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Governo prevê aprovar as reformas trabalhista e previdenciária até junho

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que o projeto com mudança nos tributos deve ir ao Congresso até abril

Lorenna Rodrigues e Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2017 | 12h01

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que mudanças na legislação tributária poderão ser mandadas ao Congresso Nacional em abril. Assim como o presidente Michel Temer, Padilha evitou falar em reforma e disse que será feita uma "simplificação tributária".

"Não queremos congestionar o Congresso Nacional. Temos a Reforma da Previdência e a Trabalhista e devemos aprovar ambas ainda antes do mês de junho. Devemos, quem sabe lá por abril, enviar a simplificação tributária", afirmou.

De acordo com o ministro, ainda não está decidido se o projeto reduzirá procedimentos para diminuir a burocracia para as empresas ou se haverá fusão de tributos e se isso está sendo discutido.

Após participar de evento organizado pela Caixa, Padilha comemorou a aprovação da medida provisória com a reforma do ensino médio pelo Congresso Nacional e disse que a mudança é fundamental para a qualificação do brasileiro. "Estamos fazendo, nesses poucos meses, muito mais do que pensamos que poderíamos fazer em dois anos e meio", completou.

Durante o mesmo evento, o presidente Michel Temer afirmou que as reformas enviadas pelo governo ao Congresso têm avançado mais rápido do que o previsto inicialmente. "Vamos tentar agora, não vou falar exatamente em uma reforma tributária, mas uma simplificação do sistema tributário, na qual o governo já está trabalhando para que possamos desburocratizar vários procedimentos que trarão agilidade para os investimentos nacionais e estrangeiros no nosso país", disse.

Segundo o presidente, foi possível fazer em sete meses o que ele imaginava que seriam necessários dois anos para avançar em reformas como a da Previdência e da legislação trabalhista, além da aprovação de um teto para os gastos públicos.

Tudo o que sabemos sobre:
Congresso NacionalMichel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.