Governo prevê giro de R$ 30 bi no País com Copa de 2014

Estudos feitos pelo governo e consultorias apontam para investimentos de R$ 3 bi no Estado de SP

Carla Araújo, da Agência Estado,

05 de junho de 2013 | 15h09

SÃO PAULO - A Copa do Mundo de 2014 promete movimentar até R$ 30 bilhões nas 12 sedes do evento, além de acelerar os investimentos em infraestrutura. A previsão é do coordenador da Unidade de Entregas de Projetos Prioritários da Secretaria de Planejamento do Estado de São Paulo, Rodrigo Gouvêa. Segundo ele, estudos feitos pelo governo federal e por consultorias apontam investimentos de R$ 3 bilhões apenas em São Paulo. Os números foram divulgados nesta quarta-feira, 5, durante o seminário ''Efeitos da Copa e Olimpíada na Economia Nacional'', realizado pelo FGV/Ibre, na capital paulista.

De acordo com Gouvêa, o Estado está trabalhando para receber as delegações internacionais e mapeou 26 locais, em 22 cidades, para abrigá-las. "Já recebemos 17 visitas de representantes das seleções. Vamos oferecer uma linha de investimento esportivo, com taxa de juro de 2%, para que essas cidades se preparem para receber as seleções", afirmou, lembrando que o Estado de São Paulo também tem uma linha de financiamento para hotéis com a mesma taxa de juro.

Joel Benin, da Secretaria de Grandes Eventos do Ministério dos Esportes, afirmou que o País terá como oportunidade - com a Copa e a Olimpíada - mostrar a diversidade cultural e ampliar a relação comercial com outros países. "São os dois maiores eventos do planeta. Teremos um legado material visível com investimentos do governo, Estado e prefeituras e um legado imaterial, que vai consolidar a imagem do Brasil." De acordo com Benin, estimativas apontam que o País deve receber mais de 600 mil turistas estrangeiros e até 3 milhões de turistas brasileiros durante os eventos.

A vice-prefeita de São Paulo e coordenadora da SPCopa, Nadia Campeão, destaca que a atração de investimentos e a consolidação da cidade como referência no turismo de eventos e negócios podem se transformar em legado para a capital. "Na esteira desses eventos vamos ter outros importantes, como o 64º Congresso da Fifa, em junho de 2014, e a festa da Fifa (Fan Fest), que vai levar cerca de 50 mil pessoas ao Anhangabaú, por exemplo." Ela ainda lembrou da candidatura de São Paulo para ser sede da Expo 2020.

Uma das principais melhorias que o governo pretende deixar para a capital paulista é o desenvolvimento da zona leste. Além da construção do estádio da Copa, o Itaquerão, Nadia ressaltou que o evento ajudará no processo de desenvolvimento, com a criação do complexo viário de Itaquera, orçado em R$ 478,2 milhões, e do Polo Institucional de Itaquera, que pretende incentivar empreendimentos na região. "(O desenvolvimento da zona leste) é um dos pontos focais da gestão municipal."

Tudo o que sabemos sobre:
Copa do MundoSão PauloInvestimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.