Governo promete agilizar licença ambiental de Jirau, diz Lobão

Ministro de Minas e Energia tem se reunido com Dilma e Lula para acelerar liberação de usinas do Madeira

Gerusa Marques, da Agência Estado,

19 de maio de 2008 | 14h26

O ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, chegou nesta segunda-feira, 19, à sede da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e disse que tem se reunido com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e com autoridades do Ministério do Meio Ambiente para discutir a liberação das licenças de instalação das duas hidrelétricas do Rio Madeira "e eles nos prometerem agilidade". O ministro disse esperar que a entrada de Carlos Minc no Ministério do Meio Ambiente acelere o processo de licenciamento ambiental.  Veja também:Consórcio Suez/Camargo vence o leilão da usina de JirauJirau reforça geração na Amazônia Ao ser questionado sobre se a ex-ministra Marina Silva era muito exigente, Lobão respondeu: "a ministra é minha amiga e minha colega no Senado, mas ela é bastante exigente. Espero que o novo ministro possa ter uma compreensão maior para a necessidade de rapidez nessas decisões" e acrescentou: "é bom ser exigente, mas com rapidez". O ministro espera que a hidrelétrica de Jirau comece a operar em 2012, numa antecipação à previsão inicial, que era de ligar as primeiras turbinas em 2013. Ele ressaltou que, enquanto na Europa a energia está cada vez mais cara, o Brasil vem dando demonstrações de "quedas significativas" nas tarifas, como o deságio de 30% no leilão da hidrelétrica de Santo Antônio e o de 21,6% em Jirau. "Se considerarmos o preço de Santo Antônio e o compararmos com o vencedor de Jirau, temos um deságio de mais de 40%." Ele chamou a atenção para o fato de que a hidrelétrica da Jirau terá investimentos de R$ 8,7 bilhões e irá gerar 20 mil empregos diretos e 50 mil indiretos. Belo Monte Lobão previu que o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, será realizado em 2009. "Deveremos ter uma competição acirrada", disse ao comentar o resultado do leilão de Jirau. Segundo ele, a expectativa é de que o deságio para Belo Monte fique no mesmo patamar de Jirau e Santo Antônio. "Não teremos mais dificuldades de energia elétrica nesse País. Nem agora, nem amanhã, nem nunca." Lobão disse confiar na experiência e competência do consórcio vencedor de hoje e afirmou que o Sistema Eletrobrás estará presente em todos os leilões. O objetivo, segundo ele, é garantir segurança e tarifas mais baratas para o consumidor. "Há um grande vencedor nesse leilão, que é o consumidor brasileiro."  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.