Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo promete conversor para TV a R$ 7 por mês

Ministro verá demonstração de equipamento digital em 15 dias

Michelly Teixeira e Renato Cruz, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2023 | 00h00

A partir de 2 de dezembro, quando começam as transmissões de TV digital no Brasil, os paulistanos poderão fazer como o ministro das Comunicações, Hélio Costa, e assistir o desenho do Bob Esponja no celular. Ontem pela manhã, durante o evento Broadcast & Cable, Costa mostrou com orgulho um aparelho japonês, da marca Sanyo, que recebia o sinal digital transmitido pela Globo. ''''O sonho virou realidade'''', disse o ministro sobre o sistema nipo-brasileiro de TV digital.Costa anunciou que o governo quer financiar o conversor (ou set-top box), aparelho que permitirá receber o sinal digital em televisores analógicos, por R$ 7 ao mês. ''''As condições serão no mínimo tão boas quanto o do programa Computador para Todos'''', garantiu o ministro. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) destinou R$ 1 bilhão para o financiamento dos conversores. As linhas de crédito serão repassadas ao consumidor pelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal, segundo o ministro.Na segunda semana de setembro, Costa assistirá em Brasília à demonstração de um conversor produzido por um grupo ''''indiano-brasileiro'''' que, segundo ele, chegará ao mercado por R$ 200, no início das transmissões em São Paulo. A caixa virá equipada com o Ginga, software de interatividade desenvolvido no País. Representantes da indústria vinham falando que os conversores iriam sair por pelo menos R$ 800, sem o Ginga. ''''O preço deve cair de 40% a 50% até julho de 2008'''', disse Costa.A produção em maior escala determinará essa redução de preços. O ministro disse que a comitiva do Japão que ele recebeu na semana passada - da qual fazia parte o ministro para Assuntos Internos e Comunicações, Yoshihide Suga - detectou que muitas pessoas naquele País vão precisar também do conversor.O grupo japonês, que seguiu para a Argentina, Chile e Peru, quer que o padrão de TV digital digital adotado no Brasil seja estendido aos outros países da América Latina. Se isso acontecer, os custos de produção dos set-top boxes podem cair.O ministro também revelou que, na segunda semana de setembro, deve ocorrer um teste de interatividade da TV digital com banda larga sem fio, usando a tecnologia WiMax. O teste será feito em Hortolândia (SP), em parceria com o CPqD. Os conversores precisarão estar conectados a um serviço de telecomunicações para terem conectividade plena, com serviços parecidos com a internet. Além do WiMax, uma possibilidade em estudo é o celular. A queda do real, segundo Costa, não trará impacto sobre os preços das caixas conversoras. ''''Agora, o dólar está no nível que já deveria estar.''''Em um tom bastante cauteloso, Costa reiterou que não existe ''''qualquer pretensão'''' do governo de interferir em uma eventual fusão entre Oi (antiga Telemar) e Brasil Telecom. O que existe, ponderou o ministro, é a disposição do governo de facilitar o processo e ''''não criar obstáculos'''': ''''É uma decisão que parte das empresas.'''' O modelo de fusão anunciado por Costa há algumas semanas foi criticada por acionistas das empresas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.