Governo propõe parcelar reajuste do telefone em duas vezes

O ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, disse hoje que propôs aos representantes das concessionárias de telefonia fixa que o repasse para o consumidor da diferença do reajuste das tarifas do ano passado seja feito em duas parcelas, em setembro e novembro deste ano. Os empresários se comprometeram a avaliar a proposta e dar uma resposta na segunda-feira, quando haverá uma nova reunião com o ministro.Na opinião de Eunício, esse parcelamento não deveria ser deixado para o próximo ano, para não ficar próximo do reajuste de 2005. O ministro disse que conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o assunto e, segundo Eunício, Lula recomendou que a negociação respeite o contrato e leve em conta o interesse do consumidor.Segundo o ministro, cada uma das três concessionárias locais - Telefônica, Telemar e Brasil Telecom - teria perdido, desde o ano passado, R$ 960 milhões por ter cobrado uma tarifa com correção pelo IPCA, com reajuste médio de 14%, e não pelo IGP-DI, que teria permitido um reajuste em torno de 25% em média e acabou sendo confirmado em junho pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concedeu reajuste médio de 6,89% para as tarifas de 2004, mas a decisão do STJ pode fazer com que esse reajuste aumente para 16,5% em média. A diferença entre esses porcentuais é que está sendo tratada pelo governo com os empresários do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.