Governo propõe reajuste do salário mínimo para R$ 854 no ano que vem

Neste ano, o salário mínimo está em R$ 788; projeto que prevê o aumento a partir de 2016 foi enviado para o Congresso

Lorenna Rodrigues, Victor Martins e Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

15 de abril de 2015 | 17h25

BRASÍLIA-  O governo estabeleceu o salário mínimo de R$ 854 no ano que vem. O valor consta do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), enviado hoje ao Congresso Nacional. Para 2017, o valor previsto é de R$ 900,1 e, para 2018, de R$ 961. Neste ano, o salário mínimo está em R$ 788. 

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) ressalvou, entretanto, que o valor poderá ser reajustado. Ele esteve na reunião no qual o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, entregou a proposta ao presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). 

Segundo ele, o número base do salário mínimo, de R$ 854, decorre da fórmula de reajuste adotado. Mas ele disse que o valor poderá ser alterado ao longo do ano de acordo com a variação do crescimento do PIB e da inflação.

Jucá disse que o crescimento do PIB para 2016, pela proposta, está estimado em 1,3% e o superávit primário para o próximo ano, de 2%. A inflação, pela LDO, deve ficar em 5,6%.

"É um orçamento real, um orçamento salgado no superávit, não é um número fácil de alcançar, porque 2% pelo quadro da economia já é um número duro, mas é a meta do governo", afirmou Jucá. "Vamos tentar ajudar para que o governo possa melhorar", completou, ao defender que "todo esse nó" dependerá do crescimento da economia este ano.

O peemedebista repetiu a avaliação de que o País precisa, além de fazer os cortes, realizar uma inflexão na economia. 

Mais conteúdo sobre:
salário mínimo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.