Governo prorroga IPI reduzido para carros até setembro

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou hoje a prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos por mais três meses. A medida, que valeria apenas até amanhã, agora foi estendida até o final de setembro. De acordo com ele, a volta da cobrança do imposto será gradual ao longo do quarto trimestre. Ele não informou, no entanto, como será o procedimento para a volta da cobrança do imposto.

CÉLIA FROUFE E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

29 de junho de 2009 | 13h13

Mantega confirmou também que no setor de caminhões a redução do IPI valerá até o final do ano. Isso é necessário, de acordo com ele, porque esse segmento foi um dos mais afetados pela crise financeira internacional. Mantega anunciou ainda a prorrogação por mais três meses da redução da Cofins para motos. Segundo o ministro, nesse caso, assim como no setor automotivo, há um compromisso de não haver demissões no período em que vigorar o benefício tributário.

Linha branca

O ministro da Fazenda anunciou também a prorrogação até 31 de outubro da redução do IPI para produtos da linha branca. Além disso, o ministro estendeu para até 31 de dezembro a desoneração de IPI para material de construção. Mantega disse que para esse setor o prazo é maior porque há características específicas na realização de obras. O governo anunciou também a inclusão de vergalhões de aço e cobre na lista de materiais que terão redução do imposto.

O ministro também confirmou, conforme antecipado pela Agência Estado, que será mantida a isenção de PIS e Cofins até o final de 2010 para trigo, farinha de trigo e pão francês. No caso do setor de bens de capital (máquinas e equipamentos), Mantega anunciou a redução de IPI para 70 itens até 31 de dezembro de 2009. Ele disse que entre os itens estão válvulas industriais, muito usadas pelo setor.

Tudo o que sabemos sobre:
impostoIPI reduzidoMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.