Governo quer aprovar contribuição de inativos

O governo federal quer aproveitar a mobilização do Congresso pós-eleições municipais para tentar ressuscitar o debate sobre a cobrança de contribuição previdenciária dos inativos da União, Estados e municípios. Para isso, auxiliares do presidente Fernando Henrique Cardoso estão cobrando dos governadores empenho para articular suas bancadas na Câmara e restaurar a discussão sobre a busca de recursos para cobrir o déficit na Previdência.O líder do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), lembrou que o governo, em outras tentativas, saiu derrotado e ressalta a extrema importância da mobilização dos governadores na tramitação da emenda constitucional na Câmara. "O tema é polêmico, o governo saiu derrotado em outras tentativas e insistiu porque foi uma decisão tomada pelos governadores".A defesa da proposta gerou uma divisão dentro do Palácio do Planalto e se estende à base aliada do governo no Congresso. São vários os líderes governistas que não acreditam que o Executivo consiga reativar essa contribuição. "É politicamente inviável a aprovação da contribuição dos inativos, até porque já fomos derrotados", ressaltou o líder do PSDB na Câmara, deputado Aécio Neves (MG). "Foi um desgaste tremendo, e não é em final de governo que se aprova tema dessa natureza", observou. "Não vejo chance de se aprovar essa proposta no Congresso", emendou o presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.