Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo quer evitar abusos em passagens e hotéis

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse ontem que o governo federal vai fazer o possível para evitar abusos de preços na rede de hotelaria e nas passagens áreas para a Copa do Mundo de 2014. A ministra participou da 1ª Reunião do Comitê de Acompanhamento de Preços, Tarifas e Qualidade de Serviços para a Copa do Mundo.

O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2013 | 02h08

"Nós queremos entrar num acordo com essas empresas, ou seja, que elas possam oferecer um preço bom e justo. Se nós tivermos abuso de preço, o Estado brasileiro vai tomar providências. Vai utilizar de tudo que tem ao seu alcance para que a gente possa ter um equilíbrio nos preços."

De acordo com a ministra, com o resultado dos sorteios da Fifa, o governo vai ter uma ideia mais clara do fluxo de pessoas e da demanda por passagens aéreas e da rede hoteleira. "Já temos alguns levantamentos prévios, mas teremos um quadro mais detalhado depois do sorteio dos ingressos da Copa. Vamos ter o sorteio agora no dia 29, e depois um sorteio no início de novembro. No início de novembro vamos saber a demanda por passagens aéreas, hotéis e aí teremos condições de ter um mapa para saber como os preços vão se comportar", afirmou a ministra,

Gleisi disse ainda que a Secretaria de Aviação Civil e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) estão estudando a possibilidade de flexibilizar a malha aérea durante o mundial de futebol, com o objetivo de evitar que haja falta de voos para alguns destinos durante o evento. / RAFAEL MORAES MOURA, DE BRASÍLIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.