Governo quer impulsionar setor de semicondutores

O secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Virgílio Almeida, afirmou que é preciso desenvolver a indústria de semicondutores (usados nos chips de computadores) do País, um mercado "com grande potencial". O secretário afirmou que o déficit na balança comercial registrado devido às importações desses materiais foi de US$ 5 bilhões em 2013, mesmo número registrado no ano anterior. Para ele, é preciso mudar esse cenário com o desenvolvimento de uma indústria local.

MARIANA SALLOWICZ, Agência Estado

16 de junho de 2014 | 13h29

Almeida afirmou que o País é o quarto no mundo em termos de usuários de internet, e que deveria aproveitar o mercado para desenvolver essa indústria. Os semicondutores são componentes de alto valor agregado. "O Brasil importa praticamente tudo o que consome hoje, é preciso trabalhar para diminuir isso ao longo do tempo", afirmou no seminário de tecnologia da Rio Conferences, encontro para promoção de investimentos na cidade.

Lei de Proteção de Dados Pessoais

Almeida afirmou ainda que o anteprojeto da Lei de Proteção de Dados Pessoais está sendo trabalhada e será proposta pelo Ministério da Justiça, mas afirmou que não há uma previsão de quando chegará ao Congresso Nacional. "O MCTI irá participar posteriormente das discussões sobre a proposta, o que deve ocorrer no segundo semestre deste ano", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.