Governo quer incentivar as exportações

O governo vai anunciar nos dias 16 e 17 um pacote de ajuda às exportações com medidas logísticas e financeiras. Beneficiando as condições para a exportação, o governo visa melhorar o resultado da balança comercial que, em outubro, registrou o pior desempenho dos últimos 21 meses - déficit de US$ 523 milhões. A secretária de Comércio Exterior, Lytha Spíndola, admitiu que a balança poderá ter um déficit de cerca de US$ 200 milhões. O fraco desempenho da balança comercial pode ser mais um fator a pressionar as taxas de câmbio no Brasil. Isso porque uma entrada menor de moeda norte-americana por meio do comércio exterior faz com que o País tenha que recorrer a outras alternativas para captar dólares. O lançamento de papéis no exterior é uma das alternativas. Porém, esse mecanismo deixa o País muito mais dependente do capital de investidores estrangeiros, por se tratar de um endividamento. Nas medidas a serem anunciadas, o governo propõe uma linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investimento no setor portuário; a criação de um mecanismo de garantia de crédito para as exportações; a informatização do sistema de "draw-back" (importação de componentes, sem pagamento de impostos, para a fabricação de bens destinados à exportação); a reativação do Fundo de Aval (um sistema mútuo de garantias de crédito); iniciativas na área de promoção comercial; e a criação de um Foro de Logística.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.