Governo quer medidas de desoneração de bens de consumo de massa

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou hoje que trabalha para implementar, em 2005, medidas que contribuam para desonerar os bens de consumo de massa, dentro da cesta básica. Ele não confirmou, porém, se será possível anunciar a medida, ainda em dezembro, durante a reunião do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), de redução de impostos sobre o setor produtivo para favorecer investimentos, pois as medidas ainda estão sendo estudadas e seriam anunciadas "no devido tempo".Furlan participou na capital paulista de encontro com o vice-presidente da Câmara de Comercio e Indústria Brasil-Alemanha, Thomas Timm, e com o diretor de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Roberto Gianetti da Fonseca. As informações são da Agência Brasil.Em sintonia com o que disse o ministro do Desenvolvimento, o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, também durante evento em São Paulo, afirmou que o governo avançará no próximo ano em medidas de desoneração de produtos de grande consumo popular. "Vamos adotar medidas para reduzir impostos de produtos de consumo popular", prometeu, em palestra promovida pela Associação de Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB).Dirceu garantiu que o governo retomará a reforma tributária, focando a desoneração de folha de pagamento para crescimento e geração de empregos. "Adotaremos medidas de desoneração de pequenas e médias empresas. Precisamos urgentemente desonerar este setor", frisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.