Governo quer Pará reconhecido como área livre de aftosa

O Ministério da Agricultura espera que a Comissão Científica para as Doenças dos Animais, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), apresente em setembro o resultado final para o pleito do governo brasileiro, que tenta reconhecimento da região centro-sul do Pará como zona livre de febre aftosa com vacinação.Na semana passada, o diretor-geral da OIE, Bernard Vallat, encaminhou ofício ao Departamento de Saúde Animal do ministério, considerando satisfatórias as informações apresentadas pelo governo brasileiro, em Paris, na França, sobre a situação sanitária da região centro-sul daquele estado.Mas a OIE condicionou a aprovação final da área como zona livre de febre aftosa à apresentação de informações complementares sobre a situação sanitária do rebanho do País, especificamente sobre a reintrodução da aftosa em Mato Grosso do Sul e Paraná. O centro-sul do Pará possui um rebanho bovino de aproximadamente 12 milhões de cabeças, distribuídas em cerca de 59 mil propriedades rurais. As informações são da assessoria de imprensa do ministério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.