Governo quer reduzir gastos com custeio para poder investir

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, disse hoje que o governo está buscando reduzir seus gastos com custeio (despesas referentes à manutenção das atividades dos órgãos do governo, abrangendo basicamente os gastos com pessoal, material de consumo e serviços de terceiros) para permitir o aumento do investimento público.Segundo ele, no ano passado houve uma redução de aproximadamente R$ 2 bilhões no custeio, ao mesmo tempo que houve um aumento da produção dos serviços públicos, o que indica, segundo o ministro, uma melhoria na gestão.Em alguns investimentos, como obras rodoviárias, o governo, segundo o ministro, está usando a mesma metodologia do governo da Califórnia (EUA), que permite a redução de até 30% nos gastos. "Essa cruzada vai continuar em 2005 e 2006", afirmou.Atrair investimentosEle disse, no entanto, que para se obter o desenvolvimento sustentável é necessário criar condições para a atração do investimento privado, inclusive com programas de concessões e de Parceria Público Privada (PPP). Mantega mostrou confiança na rápida aprovação, pelo Congresso, do projeto do PPP, e informou que irá hoje à tarde ao Senado para discutir com os senadores a causa da demora na aprovação da matéria. O ministro rebateu críticas de parlamentares da oposição que apontam o PPP como fonte potencial de desequilíbrio fiscal. Ele disse que Estados governados por partidos da oposição também estão elaborando propostas semelhantes e afirmou que a Lei de Responsabilidade Fiscal está acima do PPP e evitará o desequilíbrio fiscal dos governos por causa dos projetos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.