coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Governo quer solução para concessão de usinas, diz Lobão

Governo paulista tem particular interesse porque quer renovar as concessões das usinas de Jupiá e Ilha Solteira

LEONARDO GOY, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2009 | 18h58

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, reiterou nesta quinta-feira, 12, que o governo procura uma solução definitiva para a questão das concessões de hidrelétricas que vencem nos próximos anos, "e não apenas para São Paulo". O governo paulista tem particular interesse na questão porque quer renovar as concessões das usinas de Jupiá e Ilha Solteira, da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), que vencem em 2015. Mas existem pelo menos 15 usinas do sistema Eletrobrás na mesma situação, além de concessões de distribuição e transmissão que vencem em definitivo nos próximos anos.O ministro lembrou que, pela lei atual, as concessões que já foram renovadas uma vez têm de ser devolvidas à União quando esse segundo prazo de outorga expirar."Automaticamente, as concessões teriam de voltar para a União. O que se está procurando é um caminho que não seja esse. Mas não sei qual será, o tema está sendo estudado", disse. Ele reforçou que a comissão técnica criada por ele para analisar as concessões está prestes a concluir seus trabalhos, o que deverá ocorrer até o fim do mês, ou, no máximo, no começo de março.Lobão deu hoje uma rápida entrevista para falar do Horário de Verão, que termina na meia-noite de sábado para domingo. Segundo o ministro, a economia de energia gerada pela mudança nos relógios desde outubro passado equivale a 2 mil megawatts (MW). Segundo o ministro, se o Brasil construísse uma usina apenas para suprir essa energia que deixou de ser consumida, teria de investir cerca de R$ 4 bilhões. "Na média, o consumo de energia caiu 4% no horário de pico (entre as 18h e as 21 horas)", disse o ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
energiahidrelétricaLobão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.