finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Governo reduz projeção de crescimento do PIB para 2,5%

Relatório anterior divulgado pelos ministérios do Planejamento e da Fazenda previa 3,0% de avanço em 2013; estimativas para inflação e Selic foram mantidas no novo documento

Economia & Negócios e Agência Estado,

20 de setembro de 2013 | 17h09

SÃO PAULO - Os ministérios do Planejamento e da Fazenda revisaram para baixo suas projeções de expansão da economia brasileira neste ano. De acordo com o Relatório de Receitas e Despesas do 4º Bimestre, o PIB nacional deve crescer 2,5%, e não os 3,0% informados no documento anterior.

Com a revisão, a nova estimativa para o PIB fica em linha com as demais apresentações feitas pelo governo. De acordo com o documento, a mudança feita na previsão de crescimento levou em conta os dados apurados pelo IBGE sobre a expansão da atividade, de 1,5%, no 2.º trimestre deste ano ante o 1.º.

As demais projeções feitas pelo governo federal no 3.º bimestre foram mantidas. A inflação esperada é de 5,7% neste ano; e a taxa básica de juros (Selic), de 8,2%.

O Banco Central (BC), em seu último Relatório de Inflação, previa 2,7% de avanço na produção brasileira de bens e serviços - enquanto o governo apostava em 3,0%.

Na próxima semana sai o estudo atualizado da autoridade monetária. A expectativa do mercado gira em torno de saber se a previsão do BC continuará carregando mais pessimismo que a do governo, como tem ocorrido.

O mercado, por sinal, vai sendo menos otimista tanto em relação ao BC quanto ao governo. Na pesquisa Focus desta semana, que entrevista cerca de cem consultorias sobre diversos fatores econômicos, a previsão para o salto do PIB em 2013 é de 2,40%.

Tudo o que sabemos sobre:
PIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.