Governo revê previsão do PIB para recuo de 1,2% em 2015

Nova projeção é igual ao número esperado pelos analistas econômicos ouvidos pelo Banco Central na pesquisa Focus

Victor Martins, Ricardo Della Coletta, Lorenna Rodrigues,Rachel Gamarski,João Villaverde, O Estado de S. Paulo

22 Maio 2015 | 17h20

O governo federal piorou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2015. Pelos parâmetros do decreto de contingenciamento do Orçamento, divulgado hoje, essa expectativa passou de uma queda de 0,9% para um recuo de 1,2%. O valor está em linha com a expectativa de queda de 1,2% projetada por analistas econômicos ouvidos para a pesquisa Focus do Banco Central, divulgada na segunda-feira. 

Quando enviou o projeto de lei orçamentária ao Congresso Nacional, a expectativa para o PIB era muito mais otimista. Projetava-se um crescimento de 3% para este ano. No decreto de programação Orçamentária, divulgado há pouco, o governo também mudou a previsão de alta do IPCA deste ano de 8,2% para 8,26%. A estimativa de taxa de câmbio (fim de período) subiu de R$ 3,21 (divulgado na PLDO 2016 em fevereiro) para R$ 3,22 no decreto. 

Seguro-desemprego. O governo reduziu em R$ 5 bilhões a previsão com despesas com os programas seguro-desemprego e abono salarial, que são gastos obrigatórios. Segundo fontes do governo, a redução das despesas é justificada pela medida provisória 664, em discussão no Senado Federal.  

O governo confia tanto na aprovação da medida que reduziu no Orçamento a previsão de gastos com esses programas trabalhistas. A MP 664 está há 10 dias de vencer e o governo precisa que o Senado aprove a medida até o fim da semana que vem. 

Mais conteúdo sobre:
PIBprevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.