Governo se preocupa com caixa da Petrobras, diz Lobão

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que há preocupação do governo com os efeitos do congelamento dos preços dos combustíveis para o caixa da Petrobras, alinhando a sua posição com a da presidente da estatal, Maria das Graças Foster, de que é possível reajustar os valores. Na semana anterior, Lobão havia negado esta hipótese.

FERNANDA NUNES, Agencia Estado

19 de junho de 2012 | 11h31

"Temos a preocupação com a Petrobras, porque os preços não sobem há muito tempo. Mas tem que ser analisado com todo o cuidado para não complicar a inflação", disse Lobão, após participar do evento "Energias renováveis para o desenvolvimento sustentável", parte da Rio+20.

Lobão reiterou ainda a possibilidade de o gerente-executivo da Petrobras, José Carlos Vilar Amigo, assumir a diretoria internacional da empresa, como havia informado mais cedo. "Essa é uma hipótese", ressaltou. E afirmou também que não há pressa em definir o destino das concessões do setor elétrico com vencimento a partir de 2015.

Tudo o que sabemos sobre:
LobãoPetrobraspreçoscombustíveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.