Governo socialista livra um milhão de franceses do imposto de renda

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Governo socialista livra um milhão de franceses do imposto de renda

Primeiro-ministro Manuel Valls diz que a fiscalização no país se tornou 'insuportável' e defendeu que é preciso aumentar o poder aquisitivo da população

EFE

17 de setembro de 2014 | 10h45


PARIS- O primeiro-ministro francês Manuel Valls anunciou que o governo vai baixar o imposto de renda para seis milhões de franceses a partir do ano que vem.

A mudança no sistema de cobrança vai livrar um milhão de contribuintes da cobrança de imposto de renda. Eles passam a ficar isentos porque o valor da renda mínima para tributação vai subir de 6 mil euros para 12 mil euros por mês.

Até agora, quem ganha entre 6 mil euros (R$ 18 mil) e 12 mil euros (R$ 36 mil) paga 5,5% de imposto de renda. Para quem ganha entre 12 mil e 26 mil euros (R$ 78 mil), o imposto sobe para 14%.

Justificando a redução dos impostos, o primeiro-ministro afirmou: "Chegamos a um nível de fiscalização que se tornou insuportável".

O ministro acrescentou: "O desafio é reformar o nosso Estado, preservar os serviços públicos, preservar os serviços públicos, arrecadar sem aumentar impostos e inclusive reduzir a tributação para as classes baixas e médias".

Ele recordou que este ano, graças à reforma fiscal que está sendo colocada em prática, quatro milhões de franceses foram beneficiados com a redução do imposto sobre a renda.

"Vamos a continuar este movimento", acrescentou. "É nosso compromisso para poder aumentar o poder aquisitivo no País".

Na opinião do primeiro-ministro, o aumento da pressão fiscal nos últimos anos é uma das razões do revés que o partido socialista sofreu nas eleições municipais de março.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaImposto de Renda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.