Governo tem mecanismos para mudar trajetória do dólar, diz ministro

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, disse hoje que o governo tem mecanismos para mudar a trajetória do dólar. "Por exemplo, se a queda do dólar, do petróleo e de outros itens estão provocando recuo da inflação, e nós olharmos a inflação deste mês anualizada, vamos ter um número que talvez seja a metade do que foi no passado. Isso poderia proporcionar o início de uma queda nos juros estimulando a atividade produtiva", afirmou."A valorização do real não pode ficar compartimentada a aspectos de macroeconomia, mas tem de ser transformada num motor de reativação. E por isso os juros têm que cair", disse. Furlan afirmou ainda que continua trabalhando com dólar médio de R$ 3 para este ano. Para ele, a redução na taxa de juros seria uma forma de compensação da valorização do real. "Acho que compensa porque vai gerar uma demanda maior de mercado interno e favorece às empresas que têm hoje ociosidade. Reduzindo os juros, diminui também o spread do aplicador financeiro que hoje pode estar trazendo capital de curto prazo para ganhar dinheiro por meio da arbitragem entre juros e taxa de câmbio", argumentou.Para ele, a redução do risco Brasil, a apreciação do real e a queda da inflação formam um conjunto de fatores que favorece o início de um processo de redução das taxas de juros.Furlan anunciou que serão liberados R$ 5 bilhões do Codefat para o financiamento às exportações por meio do Fat Cambial. "Com isso, vamos poder regularizar as demandas e ao mesmo tempo abastecer o incremento das exportações neste ano via canais do BNDES", disse ele em rápida entrevista à saída do Ministério para acompanhar o presidente Lula ao Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.