Governo tenta votar MP da Super Receita na Câmara

O governo tenta votar hoje na Câmara a medida provisória 258 sem acordo com a oposição sobre a criação da Super Receita. PFL e PSDB ameaçam obstruir a votação da MP em plenário, e mesmo que a base governista faça valer sua maioria na Câmara, o mesmo não pode ocorrer no Senado, onde a oposição é majoritária. Como a MP caduca no dia 18, os líderes querem aprová-la hoje na Câmara e amanhã no Senado. No caso de uma eventual mudança do texto no Senado, a Câmara ainda precisaria votar o texto novamente - ou nesta quinta-feira ou na próxima semana, antes do dia 18. "Vamos tentar obstruir a votação da MP", afirmou o líder do PFL, Rodrigo Maia (RJ). Segundo ele, "a princípio" não existe nenhuma concessão relacionada ao tema (unificação da Receita Federal e Receita Previdenciária) que o governo pudesse fazer para convencer a oposição a votar a favor da medida provisória. O líder do PSDB, Alberto Goldmann (SP), por sua vez, disse que o relatório do deputado Pedro Novaes (PMDB-MA) nunca foi negociado com a oposição e contém modificações inaceitáveis, como a previsão de que as comissões de sindicância da Super Receita sejam integradas apenas por auditores do órgão. Os tucanos se reunirão no final desta manhã para fechar uma posição. Na reunião de ontem à noite, o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), sinalizou a disposição de negociar com os técnicos da Receita Federal que estão em greve contra a MP, mas praticamente descartou uma mudança no texto para atender a categoria, que quer unificar sua carreira a dos auditores, que ganham mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.