Governo terá dados do IBGE só 2 horas antes do anúncio

Um mês após as especulações no mercado financeiro sobre o suposto vazamento do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro, o governo decide que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deve repassar com apenas duas horas de antecedência ao Ministério do Planejamento e outras autoridades o resultado das pesquisas sobre os indicadores conjunturais, como os índices de inflação. Desde setembro de 2003, esses dados são repassados com 24 horas de antecedência. Ontem, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, assinou portaria que modifica o prazo anterior - fixado pelo então ministro do Planejamento, Guido Mantega. A nova portaria será divulgada no Diário Oficial que circula hoje e um de seus artigos ratifica o entendimento de que ?as autoridades constantes da lista de precedência deverão observar o mais rigoroso sigilo das informações?. A relação das autoridades da lista que terão conhecimento prévio dos indicadores conjunturais será divulgada por meio de nota oficial do IBGE e divulgada pelo portal do instituto na internet. A divulgação da possibilidade de o mercado ter tido conhecimento do resultado do IPCA com 24 horas de antecedência originou, segundo analistas consultados à época, em apostas com uma inflação menor alterando os juros futuros. Com isso, o fato teve repercussão imediata no próprio IBGE e na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) gerando a abertura de processo para investigar responsabilidades. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.