Governo trabalha para Mato Grosso retomar vendas para Rússia

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, disse hoje que a expectativa é conseguir rapidamente autorização do governo russo para exportação de carnes do Mato Grosso. Por fazer divisa com o Pará, onde foi registrado um foco de febre aftosa, o Mato Grosso não pode exportar carne bovina para a Rússia. "A expectativa é liberar o Estado rapidamente e não no prazo de 12 meses", afirmou o ministro, lembrando que o embargo é temporário.Por uma confusão entre Pará e Paraná, a carne do Paraná havia sofrido o embargo para a exportação. Na manhã desta quarta-feira, o ministro anunciou o fim deste embargo (veja mais informações no link abaixo). O ministro destacou que os estados do Sul são os mais beneficiados pela decisão da Rússia. Santa Catarina é principal exportador de carne suína e de frango para o mercado russo. A exportação de carne bovina é pulverizada.Ele disse que as exportações de carnes ficaram suspensas num curto período de tempo, o que não permite calcular prejuízos para a balança comercial do País. Representantes do governo russo no Porto de Itajaí, Santa Catarina, não emitiam certificados sanitários para exportação desde o último dia 18. Controle da doençaSegundo o ministro, com base no acordo firmado com a Rússia, compete aos governos federal e estadual tomar as medidas necessárias para que não ocorra o trânsito de animais de um estado para outro. Elee disse ainda que parte do controle da aftosa no País depende dos estados, que recebem verbas do governo federal.Rodrigues admitiu, porém, que no ano passado, com o contingencionamento orçamentário, "um pequeno volume de recursos" foi enviado aos estados. Para este ano, ele aposta na regularização da situação. Apesar do recente foco da doença registrado no município de Monte Alegre, no Pará, o ministro reafirmou que a meta do governo é erradicar a febre aftosa do território nacional em 2005.TrigoRodrigues afirmou que a missão técnica que está em Moscou tratou, em reunião separada, a possibilidade do Brasil comprar trigo da Rússia. "É um assunto paralelo", afirmou. Os comentários eram que a compra de trigo da Rússia poderia servir de "barganha" para que os russos retomassem as importações de carnes do Brasil.Rodrigues disse, que após o acordo que permite a retomada das compras de carnes, o "assunto trigo" foi discutido pelo secretário de Produção e Comercialização, Linneu Costa Lima, que chefia a missão brasileira na Rússia. "O secretário se comprometeu com o governo russo a trazer suas preocupações para um estudo da questão por parte do Brasil", afirmou.

Agencia Estado,

30 de junho de 2004 | 11h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.