Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
AFP PHOTO / Nicholas Kamm
AFP PHOTO / Nicholas Kamm

'Governo Trump é fã de acordos bilaterais', diz secretário

Steven Mnuchin mostrou estar pouco preocupado com a decisão do Japão e outros dez países que chegaram a um acordo para promover o livre comércio sem a participação americana

Dow Jones Newswires

24 de janeiro de 2018 | 11h05

O secretário de Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, mostrou estar pouco preocupado com a decisão do Japão e outros dez países da região que chegaram a um Acordo de Parceria Transpacífico para promover o livre-comércio, sem a participação americana.

Segundo Mnuchin, "o governo Trump é fã de acordos de comércio bilaterais, acrescentando que "qualquer um que queira fazer negócios de forma recíproca (com os EUA) é livre para fazer".

O secretário de Comércio americano, Wilbur Ross, que participa do Fórum Econômico Mundial, em Davos, com Mnuchin, criticou os comentários de Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá, de que o acordo do TPP é um trunfo progressista e que os EUA deveriam ver as vantagens do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta). Segundo Ross, a fala de Trudeau tinha como objetivo "colocar alguma pressão sobre os EUA".

O secretário de Comércio ainda disse que "há potencial" para retaliação de alguns países devido às políticas do governo Trump. "No nível em que isso está, a questão é o que os EUA farão em resposta".  

Mnuchin também tentou amenizar as preocupações sobre o valor do dólar, que enfraqueceu nas últimas semanas. Em seu discurso, disse que uma divisa americana mais fraca é "bom para o comércio". "Se for no curto prazo, não me preocupo nem um pouco. No longo prazo, um dólar mais forte é um reflexo do fortalecimento da economia americana", afirmou.

Questionado sobre recentes relatos de que investidores da China estariam diminuindo ou interrompendo a compra de Treasuries, Mnuchin disse que "isso não é uma questão que estamos particularmente preocupados". "Em todas minhas conversas com os chineses, isso não foi uma questão. É um mercado muito, muito grande e profundo", comentou.

Mnuchin ainda comentou sobre o esperado discurso em Davos do presidente americano, Donald Trump, na sexta-feira. Segundo o secretário, o republicano não está preocupado com quaisquer críticas que possa enfrentar em um evento que tradicionalmente apoio o livre-comércio e a globalização. "Trump está vindo para enfatizar sua agenda e se reunir com outros líderes mundiais e executivos", disse a autoridade.

+ ACOMPANHE: Veja a cobertura completa do Fórum Econômico Mundial

As políticas do governo Trump, com seu slogan de "América em primeiro lugar", têm sido um dos tópicos mais discutidos em Davos. Diversas autoridades governamentais e executivos expressaram preocupação com as políticas protecionistas do atual governo americano, que podem prejudicar o comércio global. 

Nafta. O possível colapso do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês) não resultaria num pacto alternativo que excluísse os EUA, como aconteceu com a Parceria Transpacífico, afirmou nesta quarta-feira o ministro de Finanças do México, José Antonio González Anaya.

+ Angola negocia com Temer retomada de créditos do BNDES

Falando à rede de TV americana CNBC de Davos, onde participa do Fórum Econômico Mundial, Anaya disse que o México deseja manter o Nafta como um acordo trilateral e que o "cenário central" é um bom acordo para os participantes do Nafta, ou seja, EUA, Canadá e México.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.