Governo vai acelerar concessão de terminais

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse ontem que o governo vai adotar uma espécie de "fast track" para a concessão da administração de aeroportos à iniciativa privada. Será como uma via rápida para acelerar os investimentos para melhorar a infraestrutura aeroviária até a Copa de 2014. Coutinho usou a expressão ao integrar a plateia de um painel sobre os desafios de infraestrutura da América Latina do Fórum Econômico Mundial, no Rio. O palestrante era o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, que exerce a Autoridade Pública Olímpica.

Luciana Nunes Leal e Alexandre Rodrigues, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2011 | 00h00

Ele e Coutinho concordaram que uma das prioridades deve ser o aperfeiçoamento dos projetos. Meirelles indicou que o governo vai usar os aeroportos para testar o "fast track" e repeti-lo em outros setores que precisam ter investimentos acelerados.

"Isso está sendo detalhado na questão dos aeroportos", disse. Para ele, não há contradição com a necessidade de elevar a qualidade dos projetos. "A ideia é acelerar os prazos de implementação, ser mais eficiente e fazer projetos que não nos façam perder tempo. É ter procedimento mais eficiente e mais rápido. Uma coisa é ter projetos com visão de longo prazo. Outra é ser mais eficiente na implementação."

O diretor da Odebrecht, Felipe Jens, confirmou que a companhia tem interesse pelas concessões de aeroportos e está preparada para definir as melhores oportunidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.