coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Governo vai divulgar Marca Brasil no exterior

O governo anuncia na próxima quarta-feira o programa de divulgação da Marca Brasil no exterior. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior contratou a agência norte-americana McCann Erickson para fazer um diagnóstico em 10 mercados sobre a aceitação dos produtos brasileiros e propôr uma campanha de divulgação nesses países.O ministro Sérgio Amaral espera apresentar a nova estratégia de divulgação da Marca Brasil para uma platéia de cerca de 500 pessoas, entre empresários e jornalistas.O Ministério reservou entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões do seu orçamento deste ano para organizar as ações de divulgação. As grandes campanhas deverão ser pagas pelo próprio setor empresarial e pela Agência de Promoção das Exportações (Apex). Os empresários que promoverem mostras culturais no exterior, paralelamente a outros eventos de promoção comercial, receberão os incentivos fiscais previstos na Lei Rouanet, conforme acordo fechado entre os Ministérios do Desenvolvimento e da Cultura.Em entrevista à Agência Estado, Sérgio Amaral disse que os países foram escolhidos pela importância do comércio ou pelo fato de ser um mercado novo, onde o Brasil pode ampliar as vendas. Os mercados escolhidos são Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, China, Índia, Rússia, Japão, Coréia, além da Comunidade Árabe, que engloba 16 países.O Brasil também desenvolverá algumas ações menos intensas na Espanha e no México. "Estaremos lançando no dia 3 um programa da Marca Brasil, com o objetivo de promover a imagem de qualidade do produto brasileiro, porque se não tiver essa imagem de qualidade, esse esforço diferencial, o produto não terá aceitação no mercado mundial", disse Amaral.ClichêsO governo quer desvincular do Brasil a imagem do país do futebol e do carnaval. "Precisamos mostrar a imagem de um país competitivo capaz de produzir bens e serviços de classe mundial", explica o secretário de Desenvolvimento da Produção do Ministério do Desenvolvimento, Reginaldo Arcuri.Uma pesquisa realizada em 2000, em 35 países, pela empresa de comunicação Young & Rubican, mostra que a avaliação do Brasil é positiva como país exótico e diferenciado do mundo. No entanto, no que se refere aos produtos, se constatou que ainda há um misto de desconhecimento e percepção de falta de qualidade e seriedade. Segundo Arcuri, daí resulta a conclusão de que é preciso fortalecer a imagem do Brasil no exterior.A Marca Brasil não é uma logomarca ou selo, como explica um assessor do Ministério do Desenvolvimento. Mas sim, o esforço de associar determinado produto ao País. Os dez diretores de marketing da McCann nos mercados escolhidos mostrarão na segunda-feira ao governo a percepção colhida por eles sobre o Brasil nos países onde atuam e apresentarão uma proposta de promoção comercial efetiva.Os chefes do setor de promoção comercial do Itamaraty nesses mercados também participarão da reunião, além dos gerentes de programas da Apex. Na terça-feira, serão formados grupos que discutirão os dados visando quatro blocos: Ásia, Europa, América do Norte e, um quarto grupo, para os demais países.Na quarta-feira, o ministro Sergio Amaral apresentará o resultado dos dois dias de reuniões internas e convocará os empresários a aderirem à nova vertente de promoção comercial do Brasil. "A apresentação do ministro será a institucionalização da Marca Brasil", prevê um assessor de Amaral.O Ministério do Desenvolvimento também fechou um acordo com as organizações Globo para divulgar produtos nacionais nas novelas brasileiras, transmitidas no mundo todo. Além disso, o Navio Escola Brasil, do comando da Marinha, deixou o País nos últimos dias, rumo a 14 portos no exterior, com uma mostra de vários produtos, inclusive oferecendo a degustação de café, sucos, carne e até da caipirinha tipicamente brasileira.

Agencia Estado,

28 de junho de 2002 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.