Governo vai gastar R$ 1,5 bi a mais nos próximos três meses

Decreto assinado ontem pelo presidente Fernando Henrique Cardoso está ampliando em R$ 1,5 bilhão os limites de gastos dos Ministérios até o final deste ano. Segundo o secretário de Orçamento Federal, Hélio Tollini. o que está possibilitando esse aumento de gastos é o bom desempenho da arrecadação de tributos em julho e agosto. "Olhando para as contas dá para fixar tetos maiores para os gastos", afirmou Tollini. Segundo ele, o Ministério da Defesa será uma das áreas do governo mais beneficiadas com o novo decreto de programação orçamentária e financeira, devendo receber R$ 300 milhões. Ainda de acordo com o secretário, a expansão de gastos não compromete a nova meta de superávit primário fixada no acordo com o Fundo Monetário Internacional, para 2002, de 3,88% do PIB. O detalhamento sobre a ampliação de gastos será divulgado às 15 horas, no Ministério do Planejamento. O detalhamento do aumento será feito pelo secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Simão Cirineu, e pelos secretários de Orçamento Federal, Hélio Tollini, e do Tesouro, Eduardo Guardia, em entrevista coletiva às 15 horas, no Ministério do Planejamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.