Governo vai interceder em demissões da Webjet

Empresa comprada pela Gol tinha planos de dispensar 850 funcionários; ministro deve ‘lembrar’ companhia dos benefícios da desoneração da folha a partir de 2013 

Célia Froufe, da Agência Estado,

27 de novembro de 2012 | 19h47

BRASÍLIA - O governo vai tentar interceder na decisão da Webjet da última sexta-feira de demitir 850 empregados da companhia aérea comprada pela Gol. Em reunião que pretende ter com a empresa, o ministro do Trabalho, Brizola Neto, "lembrará" à companhia aérea Gol, que adquiriu a Webjet, que o setor será um dos beneficiados pela desoneração da folha de pagamentos a partir do próximo ano.

Uma comitiva formada por oito ex-funcionários da Webjet foi ao Ministério do Trabalho na tarde de hoje pedir a intermediação do governo na tentativa de reverter as demissões dos funcionários. A visita não constava da agenda do ministro.

De acordo com a assessoria de imprensa da Pasta, Brizola Neto mostrou preocupação com os desligamentos e se comprometeu em promover a mediação com a empresa com o objetivo de que as demissões sejam revistas. A assessoria informou também que o ministro já entrou em contato com a Gol e que "irá conversar dentro do governo para buscar soluções para o problema".

Amanhã, o presidente da Gol, Paulo Sérgio Kakinoff, e o presidente do Conselho de Administração da companhia, Constantino Júnior, estarão em Brasília, onde terão reunião com o ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wagner Bittencourt. Participam ainda do encontro o diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, e o secretário executivo da SAC, Guilherme Ramalho. O tema do encontro é o encerramento das operações da Webjet.

Tudo o que sabemos sobre:
webjetgoldemissõesbrizola neto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.