Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Governo vai revisar para baixo projeção de alta do PIB em 2017, diz Meirelles

Número deve ser apresentado na semana que vem e mostrar uma estimativa abaixo da atual, de crescimento de 1,6%

Altamiro Silva Junior, correspondente, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2016 | 17h44

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o governo está revisando a perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para o Brasil em 2017. Os novos números devem ser anunciados na semana que vem, mas a expectativa é que alta fique menor do que a expansão de 1,6% inicialmente prevista pelo governo.

Meirelles fez uma palestra durante almoço do Bradesco BBI em Nova York, que reuniu 400 investidores, gestores e analistas de 80 empresas e 150 casas financeiras.

No evento, Meirelles disse que a trajetória da dívida pública brasileira está em alta e, sem um ajuste fiscal, atingiria patamar muito elevado e insustentável. O ministro destacou que mais de 75% dos gastos públicos são atrelados à Constituição e que no governo anterior não havia ambiente político para o ajuste e agora existe. "O governo está disposto e o ambiente é viável", afirmou ele.

"Agora é o momento certo para ajuste fiscal e governo tem apoio", disse ele, destacando que a medida que estabelece um teto para o aumento do gasto público foi aprovada com margem confortável na Câmara e a expectativa é que o mesmo ocorra em votação no Senado, prevista para a semana que vem. O ministro destacou ainda que a inflação está voltando para a meta do Banco Central.

"As medidas propostas pelo governo já levaram à melhora da confiança", ressaltou Meirelles. A previsão do governo é que dívida pública deve atingir pico em 2020 e em seguida retornar a uma trajetória sustentável, disse o ministro. Meirelles destacou que o atual déficit da conta corrente não é mais uma preocupação no Brasil e que os fluxos de investimento externo direto têm sido consistentes para o País.

Previdência. Meirelles disse que o governo deve apresentar a reforma da previdência no Congresso ainda este ano e prepara uma estratégia de comunicação das medidas para a população. Segundo o ministro, um grupo de trabalho foi criado para discutir essa estratégia.

"Estamos vendo chances bastante altas de medidas fiscais serem aprovadas", disse. No evento, Meirelles ressaltou que o governo está comprometido em reduzir o papel do Estado na economia e as reformas estruturais vão ajudar a melhorar a produtividade e a competitividade na economia brasileira.

As agências regulatórias vão ser reforçadas, assim como as estatais, destacou Meirelles, ressaltando que as empresas públicas estão reforçando a gestão e a governança. "O governo está tomando medidas necessárias para consolidar economia, como reflexo, fundamentos da economia tiveram melhora significativa nos últimos meses." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.