Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Governo vê risco político e adia mudança no IR de fundos

O governo brasileiro anunciou que pretendia reduzir o Imposto de Renda (IR) dos fundos de investimentos, mas está enfrentando dificuldades para concretizar a medida. A iniciativa faz parte do pacote preparado pela equipe econômica para garantir que esse tipo de aplicação continue competitiva em relação à caderneta de poupança. Na quarta-feira (dia 13), o governo anunciou que pretende taxar o rendimento da caderneta de poupança com depósitos acima de R$ 50 mil, a partir de 2010.

Agencia Estado

15 de maio de 2009 | 07h33

O corte de impostos sobre os fundos de investimentos teria objetivo semelhante à taxação da poupança, mas o governo está hesitando em colocá-la em prática. O governo teme que a oposição transforme o corte de impostos em munição política, usando a iniciativa como desculpa para rejeitar a taxação da poupança. Nesse caso, a equipe econômica teria de prorrogar a redução da tributação dos fundos e demais aplicações além do prazo previsto - 31 de dezembro deste ano. Essa prorrogação agradaria à classe média, aos maiores investidores e aos bancos, mas provocaria perda de receita para o governo.

Nos bastidores, o Banco Central chegou a defender essa redução como permanente, mas o Ministério da Fazenda, preocupado com o jogo de xadrez que pode se estabelecer no Congresso, acha melhor adiar um pouco mais a decisão. Até porque - para os grandes investidores, que são os que mais mudam de aplicação - os fundos de renda fixa atrelados à Selic permanecem mais rentáveis do que a poupança (mesmo com imposto máximo de 22,5%) e continuarão a ser até quando a taxa básica de juros chegar a 9% ao ano, o que ainda não deve ocorrer na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
investimentosfundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.