Governo vende ações do Banco do Brasil para reforçar caixa

Desde junho, quando se iniciou esse movimento, participação do Tesouro no BB caiu de 58,30% para 57,93%

Victor Martins, O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2014 | 21h58

No momento que enfrenta dificuldades para fechar as contas, o Tesouro Nacional está vendendo ações do Banco do Brasil. De 10 de junho, quando começou a se desfazer de parte dos papéis, até 10 de setembro, o Tesouro vendeu 9,6 milhões de ações ao valor de R$ 298,5 milhões. Os dados foram informados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Com essas negociações, a participação do Tesouro no BB caiu de 58,30% para 57,93%.

O governo conta com os recursos do Fundo Soberano do Brasil (FSB) para reforçar a arrecadação e as contas públicas. O Tesouro já avisou que vai sacar R$ 3,5 bilhões do fundo para reforçar o caixa. Procurado para falar sobre a venda, o Tesouro garantiu que não houve nenhuma movimentação de ações do Fundo Soberano. 

O mercado financeiro e o próprio BB têm preocupação com a movimentação. A maior parte dos recursos do fundo - mais de 90% - é formada por ações do BB. O problema é a dificuldade de vender esses papéis numa só operação. Colocar um grande volume de títulos no mercado pode derrubar o preço.

Técnicos do governo, inclusive, já haviam alertado para o risco de ter dentro do FSB um grande volume de ações de uma única empresa justamente pela dificuldade de transformar esses ativos em dinheiro. Eles ponderam que se perde liquidez com essa concentração.

Levantamento do Broadcast mostrou que operações de venda das ações do BB se intensificaram entre 29 de agosto e 10 de setembro, quando 5,24 milhões delas foram negociadas, o equivalente a 54,4% do total vendido no ano, operações que somaram R$ 178,9 milhões. Para evitar uma queda forte dos papéis, as vendas foram feitas de maneira pulverizada, por meio de sete corretoras e em 12 operações.

Tudo o que sabemos sobre:
contas públicasbanco do brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.