Governo venderá títulos pela Internet

O Tesouro Nacional lança em 2001 um programa de venda de títulos públicos pela Internet. A intenção é possibilitar que investidores comuns e pequenas empresas comprem diretamente papéis do Tesouro. Hoje o pequeno investidor pessoa física pode comprar apenas indiretamente os títulos públicos, por meio dos fundos de investimentos de renda fixa dos bancos. Segundo o secretário do Tesouro Nacional, Fábio Barbosa, serão colocados à venda somente papéis de longo prazo, que funcionariam como uma alternativa de poupança para os investidores. A forma de venda dos papéis e as regras da oferta pela Internet estão sendo elaboradas, mas o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rubens Sardenberg, adiantou que tudo será feito dentro das condições de mercado. A idéia é a oferecer apenas pequenos volumes de papéis com vencimento a longo prazo, como, por exemplo, 30 anos. Segundo ele, seriam títulos ideais para quem queira fazer a sua própria previdência privada. É possível que a venda seja feita por meio de uma cesta de títulos diferentes, inclusive papéis corrigidos por índices de preços ao consumidor, como o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), utilizado pelo governo para estabelecer as metas de inflação. Para facilitar as negociações diretas com o investidor, também está sendo estudada a possibilidade de recompra dos papéis vendidos depois de um determinado período pelo próprio Tesouro. Quem ficar mais tempo com os títulos poderá receber um prêmio maior, informou Sardenberg.

Agencia Estado,

29 de dezembro de 2000 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.