seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

GP Investimentos fecha acordo para venda do Hopi Hari

No cardápio da GP Investimentos desde 1995, o parque de diversões Hopi Hari deve finalmente mudar de mãos. Ontem, a Íntegra - consultoria especializada em reestruturação de empresas em sérias dificuldades financeiras - assinou uma carta de intenções para assumir o controle da companhia. O acordo, previsto para sair em até três meses, só será concluído se os bancos credores aceitarem a renegociação da dívida, que hoje está entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões, segundo fontes próximas à companhia, cerca de sete vezes o faturamento anual do Hopi Hari.Para levar o parque de diversões, a Íntegra colocou como condição que haja um grande abatimento na dívida. Hoje, o principal credor do parque é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Quando a consultoria assumiu a tarefa de renegociar a dívida da Parmalat, conseguiu um desconto de 80%. No caso do Hopi Hari, o saldo final deve ser proporcional à capacidade de geração de caixa da companhia. A dívida, como está hoje, inviabiliza o futuro do negócio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

PATRÍCIA CANÇADO, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2009 | 08h50

Tudo o que sabemos sobre:
Hopi Harivenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.