Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Grã-Bretanha deve anunciar pacote fiscal contra crise

Governo quer reduzir taxa de bens e serviços e aumentar imposto de renda de ricos.

Da BBC Brasil, BBC

24 de novembro de 2008 | 08h12

O governo da Grã-Bretanha deve anunciar nesta segunda-feira um pacote de medidas fiscais para combater o desaquecimento da economia do país, decorrente da crise financeira mundial.O governo do primeiro-ministro Gordon Brown pretende reduzir em 2,5% o imposto sobre valor agregado (VAT, em inglês), que incide sobre quase todos os bens e serviços comercializados.O VAT seria reduzido temporariamente de 17,5% para 15%. A medida estimularia os consumidores a comprarem mais na véspera do Natal.Para compensar a perda de arrecadação, o governo deve anunciar um aumento no imposto de renda para pessoas com renda anual superior a 150 mil libras por ano (cerca de R$ 550 mil).RecessãoA Grã-Bretanha é um dos países que vêm sofrendo com a crise mundial. No começo do mês, o presidente do Bank of England, o banco central britânico, Mervyn King, disse que a Grã-Bretanha provavelmente já está em recessão.A medida marca uma mudança na política do governo trabalhista de não aumentar o imposto de renda.Antes mesmo do anúncio oficial, os conservadores, de oposição ao governo, criticaram o pacote trabalhista, dizendo que é loucura pensar que aumentos de impostos necessários no futuro "podem ser lidados simplesmente taxando os ricos".O pacote será anunciado ainda nesta segunda-feira, em Londres, pelo ministro da Fazenda, Alistair Darling.Especula-se que o pacote incluirá também o adiamento do aumento do imposto de transporte, um desconto no imposto de renda para pessoas mais pobres que foram prejudicadas pela abolição de um programa de incentivos do governo e o aumento do período necessário para credores tomarem casas de mutuários inadimplentes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.