Graça descarta impasse com governo sobre aumento de combustíveis

Presidente da Petrobrás afirmou também que não há qualquer definição sobre a existência de uma data para o anúncio de reajuste  

André Magnabosco, da Agência Estado,

26 de novembro de 2012 | 14h46

SÃO PAULO - A presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, afirmou que não há qualquer definição sobre a existência de uma data para o anúncio de reajuste de preços dos combustíveis. A executiva também descartou a existência de um impasse entre a estatal e o governo federal, principal acionista da companhia.

"Definitivamente não há uma queda de braço entre Petrobrás e seu controlador. O que existe é uma relação de trabalho extremamente técnica", afirmou Graça Foster, que participa neste momento de evento organizado pelo Lide - Grupo de Líderes Empresariais, em São Paulo. A executiva disse que a relação de paridade entre preços internacionais e valores praticados no mercado interno não está 100% atingida, mas não afirmou quando esse objetivo pode ser alcançado.

Graça também foi perguntada sobre a possibilidade de haver desabastecimento futuro de combustíveis no mercado brasileiro, e afirmou que não há qualquer possibilidade de a Petrobrás e a BR Distribuidora - braço de distribuição - não abastecerem o mercado local. "A Petrobrás não deixará faltar combustível. Mas precisamos lembrar que temos mais de 150 empresas distribuidoras de combustíveis. Respondemos por BR Distribuidora e por suprimento (pela Petrobrás)", afirmou.

Na visão da executiva, problemas pontuais de abastecimento em regiões como o Amapá foram ocasionados por ineficiência operacional de outras empresas. "O que houve foi um planejamento indevido de uma distribuidora. O mercado está aquecido e não se pode bobear. Não é possível pecar no planejamento", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasGraçacombustíveisreajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.