finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Graça Foster indica técnicos para diretorias da Petrobrás

José Carlos Cosenza será o novo diretor de Abastecimento e Richard Olm comandará a área de Serviços e Engenharia

SABRINA VALLE, SERGIO TORRES /RIO, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2012 | 03h04

Alheia às movimentações políticas para a escolha dos substitutos dos três recém afastados diretores, a presidente da Petrobrás, Graça Foster, optou por dois gerentes executivos, de perfil técnico, para comandar duas das principais diretorias da estatal.

José Carlos Cosenza sucederá Paulo Roberto Costa na diretoria de Abastecimento. Richard Olm substituirá Renato Duque em Serviços e Engenharia.

A indicação dos gerentes reforça o que até agora tem sido a marca da gestão de Graça: o investimento em quadros profissionais, em funcionários concursados que, como ela, foram galgando posições na estatal ao longo de décadas de serviço.

Gerente executivo de Refino, Cosenza ocupará o lugar de Costa, também servidor de carreira da Petrobrás, mas que chegou à diretoria em maio de 2004 respaldado por indicações políticas, inicialmente do PP e, mais adiante, do PMDB, do PT e do PR.

O novo diretor, que deverá ser empossado na semana que vem, não tem vínculos políticos.

Richard Olm é o gerente executivo de Exploração e Produção. Sem militância partidária e apoio político para assumir a diretoria, ele ocupará a Diretoria de Serviços e Engenharia na vaga de Renato Duque, que manteve-se no cargo por nove anos.

Duque tinha o apoio da ala do PT liderada pelo ex-ministro e ex-deputado José Dirceu.

Até a noite de ontem o nome do substituto de Jorge Zelada à frente da Diretoria Internacional ainda não havia sido escolhido. É possível que a definição do substituto só seja concluída na próxima semana.

Sem política. A opção por Cosenza e Olm foi da própria Graça Foster, que convive com eles desde o início da década de 1980. Nas reuniões que manteve esta semana com a presidente Dilma Rousseff para tratar das modificações na diretoria da estatal, ela recebeu autorização para recusar as tentativas políticas de fazer os substitutos.

A reunião do Conselho de Administração da Petrobrás que referendou as escolhas de Graça terminou no fim da tarde. À noite, por meio de comunicado oficial, a empresa anunciou as escolhas. O informe omite a questão da Diretoria Internacional. Assim, Zelada deverá continuar no cargo por mais alguns dias.

Funcionário da Petrobrás há 33 anos, Richard Olm é engenheiro mecânico, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Ocupou diversas posições gerenciais nas áreas de Exploração e Produção e de Gás e Energia, onde trabalhou com Graça Foster, que era diretora de Gás e Energia antes de assumir a presidência da estatal.

Cosenza, engenheiro químico com 36 anos de companhia, já gerenciou unidades vinculadas às diretorias de Abastecimento e Internacional.

Finanças. Com a saída dos três diretores e as duas nomeações de ontem, a diretoria da Petrobrás passa a ter apenas um diretor remanescente da gestão do ex-presidente José Sergio Gabrielli: o diretor Financeiro, Almir Barbassa.

Hoje, são sete diretorias. Graça já havia nomeado José Formigli (Exploração e Produção), José Alcides Martins (Gás e Energia) e José Eduardo Dutra - primeiro presidente da Petrobrás na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - para a recém-criada Diretoria Corporativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.