Daniel Teixeira|Estadão
Daniel Teixeira|Estadão

Grades em janelas e portas contra assalto

Moradores colocam proteção em suas casas para evitar assaltos e crimes que podem chegar na região

Renée Pereira / TEXTOS e Daniel Teixeira / FOTOS; ALTAMIRA (PA), O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2016 | 16h00

Na contramão de quem quer vender a casa nova em Jatobá, alguns moradores estão investindo todas as economias na expansão e melhoria dos imóveis. Como as unidades entregues pela Norte Energia são todas iguais, apenas em cores diferentes, cada um tem dado seu toque pessoal para diferenciar as residências. A primeira providência, no entanto, tem sido colocar grades nas janelas e portas para evitar assaltos.

O pescador José Raimundo Palheta de Souza, de 43 anos, não teve tempo. Assim que mudou da palafita Invasão dos Padres para a casa nova, foi roubado. Levaram tudo, máquina de lavar, TV de 42 polegadas e uma moto. “Tive de comprar tudo de novo”, conta. Antes, no entanto, fechou todas as janelas com grades de ferro.

Apesar do infortúnio, ele está feliz da vida na casa nova, muito bem cuidada pela mulher. “Não tem nem comparação com o barraco onde morávamos”, diz Souza, que pretende fazer um muro no entorno do imóvel e colocar um portão grande na entrada, como outros vizinhos estão fazendo. O ganha pão do morador vem do Rio Xingu, onde fica quase a semana toda pescando. O peixe tirado do rio vai direto para três grandes caixas de isopor que ficam na frente da casa de Souza. Ali, ele já conquistou a clientela do bairro, que garante a renda da família.

Numa rua paralela à de Souza, outra moradora não tem do que reclamar do novo bairro. A casa de Geovany Teixeira Gomes é impecável. Móveis bem ajeitados, tudo organizado e uma ampla área na porta da cozinha. Na frente da casa, um novo cômodo foi construído para abrigar um mercadinho. “A demanda aqui é grande”, diz Geovany, que morou durante 18 anos numa casa de madeira de frente para o Rio Xingu. “Criei meus filhos lá.”

Novo bairro. Jatobá é apenas um dos cinco bairros construídos pela Norte Energia. No total, 30 mil pessoas foram transferidas das áreas alagadas para as novas casas. Recentemente, a empresa descobriu que uma comunidade que originalmente não seria afetada pela usina também terá de ser realocada. O bairro Jardim Independente II foi incluído pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) como condicionante para a emissão da licença de operação, em novembro do ano passado. Quase 450 famílias já foram cadastradas no bairro.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio XinguUsina Hidroelétrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.