Grampos mostram lobby por supertele

Grampos da Polícia Federal mostram que lobistas de Daniel Dantas contataram a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para garantir a fusão entre as empresas Oi e Brasil Telecom. Os lobistas, diz a PF, são Guilherme Henrique Sodré Martins, o Guiga, Humberto José Rocha Braz, o Guga, e Luiz Eduardo Greenhalgh, chamado de Gomes. A conduta dos três, ainda segundo a PF, ?soa como figuras dos três mosqueteiros: um por todos e todos por Daniel Dantas?, e que o trabalho do trio é quase perfeito, com estratégias e relações que ultrapassam os limites da ética e da legalidade.Os federais alegam que Braz e Greenhalgh, ex-deputado pelo PT, trataram do acordo entre o Citibank e o Grupo Opportunity, de Dantas. ?Com a criação de uma ?supertele? com a fusão das operadoras Oi-Telemar, Telemig, Brasil Telecom e Amazônia Celular, possivelmente com a autorização da Presidência da República (via decreto, já que a fusão atualmente é ilegal) e recursos do BNDES, daí a necessidade de reunião com Dilma (o que pode caracterizar tráfico de influência).? ?Sua participação foi fundamental na criação da supertele?, conclui a PF.Em conversa gravada no dia 13 de março deste ano, Greenhalgh diz a Braz que tentou falar com ela - identificada pela PF como Dilma - e recebeu um não. Ele afirma ainda que ela teria dito que o governo já se metera demais no assunto da fusão das empresas de telecomunicação. No dia 15 de março, Dantas pede para deixar Gomes (Greenhalgh) de sobreaviso para ?falar em alguma instância?. Nove dias depois, em 24 de março, Martins comenta que seus clientes terão audiência com Dilma para tratar do ?leite longa vida?. À tarde, Martins volta a dizer que seus clientes haviam conversado com Dilma, que teria feito de conta que não o conhecia, e comenta que o pessoal da indústria do leite ficou impressionado com a esperteza dela em descobrir onde está a ?sacanagem?.No dia 28 de março, Martins mantém nova conversa com Greenhalgh. Diz que falou com o senador Heráclito Fortes (DEM-PI). O ex-deputado petista conta que conversou com a ministra pela manhã noticiando a conclusão do acordo entre Citi e Dantas e agradeceu pela ajuda.Muitas vezes Dilma é chamada de Margaret, em referência à ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher. O codinome é citado no dia 9 de abril, quando Martins diz que o ?Arquiteto? esteve com Margaret, e ela teria informado que o quadro estava mantido.O acordo para a fusão foi fechado, segundo conversa entre Dantas e Martins, às 20h36 em 27 de março. No dia 25 de abril, a Oi anunciou a compra da Brasil Telecom por R$ 5,863 bilhões. No acordo com a Oi, Dantas conseguiu negociar um valor acima do comum para sua participação minoritária. O Opportunity vai levar R$ 981,5 milhões no total, sendo R$ 268,8 milhões pelas ações que têm na controladora da Brasil Telecom e o restante por participações diretas.A assessoria de Dilma informou que ?Martins não teve audiência na Casa Civil em 2007?. Heráclito nega relação com os lobistas. Dantas, afirmou seu advogado, Nélio Machado, não vai se pronunciar. Greenhalgh não deu retorno.

AE, Agencia Estado

12 de julho de 2008 | 08h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.