Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Grandes acordos animam mercados na Ásia

Oferta de US$ 45 bi feita pela Microsoft para compra do Yahoo na sexta repercutiu hoje

Reuters,

04 de fevereiro de 2008 | 10h50

As bolsas asiáticas tiveram uma segunda-feira de altas, ampliando os ganhos da sessão anterior, com a ajuda da oferta de US$ 45 bilhões da Microsoft pelo Yahoo e ainda a compra por parte da China de uma participação na Rio Tinto animando investidores. Veja também:Microsoft oferece US$44,6 bilhões para compra do Yahoo  "As pessoas estavam ficando céticas quanto à grandes aquisições devido ao aperto do crédito, assim a possibilidade de uma fusão/aquisição de grandes empresas globais está ajudando a recuperar a confiança do investidor", afirmou Kim Joong-hyun, analista do Goodmorning Shinhan Securities em Seoul.  As bolsas em Tóquio, Hong Kong, e Seul avançaram entre 2% e 4% enquanto Xangai disparou 8% - sua maior valorização diária desde junho de 2005 - com o governo aprovando o lançamento de dois fundos de ações por empresas de fundo mútuo doméstico numa tentativa aparente de evitar uma queda ainda maior nas ações locais.  Ainda assim, a bolsa de Xangai acumula perda de 12% este ano.  O índice MSCI da Ásia Pacífico exceto Japão fechou em alta de 2,3%.  Na Austrália o dia também foi de valorização, com a Rio Tinto subindo 0,6%, na primeira sessão na Austrália desde que a China se uniu à produtora norte-americana de alumínio Alcoa para comprar uma participação de US$ 14 bilhões na mineradora.  Isso poderia minar os esforços da BHP Billiton de adquirir o controle da Rio. As ações da BHP Billiton subiram 2%.  Agora as atenções de voltam para BHP, que tem até a próxima quarta-feira para fazer uma oferta formal.  Ações de empresas de Internet, como Softbank Corp do Japão, que detém 3,9% do Yahoo em termos de direito de voto, e a chinesa Alibaba, subiram mais de 13% com as expectativas de que a Microsoft possa fazer mais aquisições na Ásia para expandir seu mercado de Internet na região.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas na ÁsiaCrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.