Grandes companhias já lançaram ADRs

A maioria das empresas brasileiras de médio e grande porte já lançaram programa de American Depositary Receipts (ADR) nos Estados Unidos. Em 2000, segundo a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), oito novas companhias começaram a negociar seus recibos. Entre elas, figuram empresas de grande peso na economia nacional, como Petrobrás, Ambev, Votorantim, Embraer e Perdigão.Segundo o analista da Socopa Corretora, Gregório Mancebo, um dos principais motivos que levam essas companhias a emitir ADRs é a facilidade de capitar recursos a custos menores, o que amplia a possibilidade de crescimento e modernização de suas instalações. Isso tende a ser positivo não só para o País, como também para investidores que adquirem suas ações.Empresas pensam em emitir DRsEmpresas brasileiras já estão pensando na emissão de Depositary Receipts (DRs) na Bolsa de Valores de Madri (Latibex). Entre as companhias listadas na Espanha, estão Vale do Rio Doce, Eletrobrás, Globo Cabo e Aracruz. Outras empresas brasileiras já vêm estudando a possibilidade de lançar programas ADRs nos Estados Unidos e DRs em outros países, como Espanha e Argentina. Entre essas companhias estão Bradespar, Brasil Telecom (antiga Telepar), Bradesco, Itaú e Paranapanema. A Bradespar está analisando as condições para se adequar às normas da Security Exchange Comission (SEC). O pedido do Bradesco já está sendo analisado pela CVM. De acordo com o órgão, a emissão será feita para o Latibex. Já a Paranapanema está sendo analisada para emissão de ADRs. O Itaú ainda não quer se pronunciar, mas não esconde o interesse em lançar ADRs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.