Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Grandes fundos de pensão internacionais devem investir na Vale

Segundo presidente Fábio Schvartsman, mudança da empresa para Novo Mercado da B3 eleva suas práticas de governança corporativa

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2017 | 10h16

SÃO PAULO -  A Vale deverá começar a ver, em sua base de acionistas, grandes fundos de pensão internacionais devido à migração das ações ao Novo Mercado, segmento de mais elevadas práticas de governança corporativa da B3. A afirmação foi feita pelo presidente da Vale, Fábio Schvartsman, que disse ainda que alguns desses investidores já começam a entrar. Esses players têm restrição para investir em companhias sem um patamar de governança corporativa.

O executivo disse ainda, em conversa com jornalistas, que a companhia passa a ter mais liquidez com esse movimento. Segundo ele, a Vale termina o ano de uma forma diferente do que concluiu 2016 e a ida ao Novo Mercado é uma marca da nova fase da companhia. "Esse marco representa a Vale mais rentável e em um processo rápido de desalavancagem", disse.

LEIA MAIS:

+ Vale quer reduzir dívida para US$ 10 bi

+ Vale deve produzir 365 milhões de tonelados de minério de ferro este ano

+ Samarco recebe primeiras licenças para retomada

A Vale faz hoje, na B3, cerimônia de comemoração de sua migração ao Novo Mercado, com a presença de representantes de todos os seus acionistas, incluindo o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, e da Previ, Gueitiro Matsuo, e da Petros, Walter Mendes. No antigo pregão da B3, cheio desde às 8h30, há ainda muitos analistas de mercado e representantes de entidades de governança corporativa. (Fernanda Guimarães) 

Mais conteúdo sobre:
Vale [empresa mineração]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.