Grãos caem com aversão ao risco antes do relatório

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2012 | 03h08

Os preços dos grãos terminaram em baixa ontem na Bolsa de Chicago. Investidores buscaram reduzir a exposição ao risco antes da divulgação do relatório de estoques do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, por sua sigla em inglês) na manhã desta sexta-feira. O trigo registrou a maior queda, perdendo 1,58% no contrato para entrega em dezembro e fechando a US$ 8,5550 por bushel. Analistas preveem que o USDA relate um volume de estoques de passagem de trigo maior do que no ano passado, o que pesa sobre as cotações. O interesse menor pelo produto americano devido à alta dos preços também é fator de pressão.

Ontem, foram anunciadas vendas da Índia para o mercado asiático e o aumento de embarques pela Europa. O milho (-1,17%) também caiu com o enfraquecimento da procura pelo cereal. Os EUA exportaram apenas 400 toneladas na última semana, ante 69.900 toneladas na semana anterior. A soja caiu 0,14%, pois analistas projetam estoques mais altos do que a última estimativa do governo americano.

Na Bolsa de Nova York, as commodities agrícolas ganharam suporte do otimismo dos mercados em geral e da desvalorização do dólar. Dessa forma, esses produtos ficaram mais baratos para os compradores internacionais. O algodão avançou 0,72%, com suporte adicional da exportação de 130.500 fardos pelos EUA na semana. Do total, 54.900 fardos foram vendidos à China, maior consumidor mundial da fibra, o que aliviou preocupações com a demanda. O café subiu 2,86%, o suco de laranja avançou 1,24% e o cacau, 0,53%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.