Grãos desabam; açúcar dispara

As commodities agrícolas tiveram uma segunda-feira agitada, com perdas expressivas nos mercados de grãos e forte alta nos preços do açúcar. Em Chicago, os contratos de milho para entrega em julho fecharam em baixa de 4,48%, cotados a US$ 3,5725 por bushel. O trigo cedeu 4,58%, para US$ 4,7950 por bushel, enquanto a soja teve perda de 0,85%, negociada a US$ 9,8650 por bushel.

Análise: Gerson Freitas Jr., O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2010 | 00h00

Segundo analistas, especuladores resolveram vender parte dos contratos com os quais apostavam na alta dos grãos. Fundos liquidaram mais de 16 mil contratos de milho, 7 mil de trigo e 6 mil de soja, embolsando os lucros da semana passada.

A valorização do dólar, reflexo da aversão dos investidores a ativos de risco em meio às denúncias envolvendo o banco de investimento Goldman Sachs, e a queda do petróleo influenciaram o movimento. A previsão de clima favorável para o início do plantio nos Estados Unidos abriu caminho para a liquidação.

Por outro lado, os contratos de açúcar para entrega em julho subiram 5,38%, para 17,05 centavos de dólar por libra-peso, no mercado futuro de Nova York. Segundo analistas, fundos especulativos resolveram recomprar, por um preço mais baixo, lotes que haviam sido vendidos na sexta-feira. Na ocasião, as cotações caíram 5,27% por conta das reações geradas pela denúncia de fraude contra a Goldman.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.